Results for category "Sem categoria"

abra os olhos para isso…

Escandalizado com Cristo

Amado irmão, a paz de Cristo. Em nossa jornada cristã temos vários desafios e na maioria deles são ocultos aos nossos olhos carnais.

Somos provados na vida em todas as áreas, nos sentimos fracos, limitados, e as  vezes essas situações nos pegam e nos proporcionam momentos de dificuldade e constrangimento.

Ficamos chateados, ou melhor, escandalizados com as pessoas, parece que no meio da luta quando estamos no ringue da vida somos deixados praticamente sozinhos e sem apoio.

Isso é um fato verdadeiro, no caminho da vida, nossos caminhos são individuais, ninguém pode fazer nada pela gente, afinal a prova e nossa e o intuito dela, e nos moldar para algo que nos proporcione crescimento e elevação espiritual e emocional.

Jesus Cristo nunca nos prometeu que depois que nós nos tornássemos seus seguidores a vida ficaria num mar de rosa ou numa linda história de amor que nada de mal iria nos acontecer, Cristo sendo um homem que além de falar francamente a verdade era a própria verdade, e ele mostra a vida nua e crua a todos nós.

A prova é um momento na vida de interiorização é uma situação de sofrimento que somos colocados para o nosso autoconhecimento, além de conhecer a Deus o homem precisa conhecer o seu próprio coração, lidar com suas emoções, enfim, é um lapidar que a vida nos proporciona.

São duras lições que aprendemos no meio disso, que podemos sim, fazer os nossos planos e projetos, mas se o que estamos fazendo não estiver alinhado a vontade de Deus caminharemos para o fracasso.

 Jesus nos da uma palavra de alerta em Mateus 11:6 “Bem – aventurado é aquele que não achar em mim motivo de tropeço”. É para termos temor, o que Cristo quis dizer com essas intrigantes palavras, puxa a única pessoa que eu esperava que não iria me decepcionar até ele ira? Meus Deus.

Eu acredito que todos os filhos de Deus tem uma expectativa em relação ao Senhor, e Jesus esta dizendo que ele nem todas as coisas que queremos ele vai nos proporcionar, por causa de sua pré-ciência, veja o contexto do versículo acima, João Batista manda perguntar sobre ele, o libertador Jesus estava deixando preso aquele que trabalhou tanto para o exaltá-lo, que contradição,  Jesus nem foi até ele mandou dizer, bom creio que quando ele disse bem-aventurado aquele que não achar em mim motivo de tropeço, Cristo esta mandando um recado a João, meu amigo eu não vou ti livrar da sua cruz carrega ela ai, e é isso que precisamos aprender a não se escandalizar com Cristo pois ele é o nosso Senhor e não nosso garçom.

Amado aprenda que acima das promessas de Deus esta a sua soberania, ele sabe contextualizar a sua palavra na vida de cada um.

Aprendamos com espírito de oração e temor a Deus a não se escandalizar com Cristo a entende-lo e amá-lo e segui-lo incondicionalmente.

Que Deus abra os nossos olhos para a verdade e que conheçamos o verdadeiro evangelho que é o  do discipulado e não o da promessa.

Pastor William Daniel

Boca no trombone – desanimo no reino

Critica ao evangelho contemporâneo

É comum hoje em dia no meio evangélico muitas pessoas queixarem-se do sentimento de desanimo. O vento de apostasia que é a verdadeira raiz deste sentimento paira nos ares de nossa sociedade contemporânea.

A cultura do fast-food religiosa, ou seja, eu quero tudo pronto na hora, eu quero meu milagre, eu quero minha casa própria, eu quero os meus direitos, faz com que a igreja em sua liturgia coloque de lado o centro que é o Senhor Jesus Cristo, e passa a se moldar de acordo com as necessidades humanas. Esquecendo que de certa forma Deus também tem as suas, porque ele procura adoradores que o adorem em Espírito em verdade.

Fico eu pensando às vezes o que Deus sente quando olha pra terra e vê um monte de pedintes religiosos mendigando nas denominações suas “bênçãos”, é motivo de ficar totalmente atônitos porque os filhos de Deus que são os príncipes estão vivendo como andarilhos sem rumo, e não reconhecendo por ignorância suas verdadeiras identidades espirituais.

É desanimador também que a Igreja cada vez parece mais um grande shopping Center só que, com mentalidade de mercearia, mal administrada por pessoas que se esqueceram e engavetaram uma vida de oração pela confiança no material, quando também são invadidos por um sentimento de messianismo achando que vão salvar a cidade, que vão salvar o pais e ao mesmo tempo deixando a bendita vocação sacerdotal por um cargo político, isso é como sair da primeira divisão e lutar imbecivelmente para a segunda. Trocaram uma vida de comunhão plena com Deus para confiar em uma urna nos dias de eleição.

Na verdade o desanimo é conseqüência de um afastamento da originalidade do evangelho, o que vemos e o que vivemos não é o evangelho, estamos no “mundo gospel” onde o que predomina é a ganância pelo poder.    Os que são chamados para salvar vidas em seus discursos em suas igrejas fazem palavras ofensivas e amaldiçoam a matéria prima pela qual eles foram chamados por Deus para cuidar que se chama ser humano.

Muitos lideres evangélicos estão com síndrome de Deidade achando que podem separar o joio do trigo, função essa que não cabe a um pastor mas somente a Deus. A liderança age desta forma no intuito de justificar seus fracassos cuja raiz é a falta de amor pelo próximo. É a índole maligna maquiavélica camuflada por destras dos bastidores que os fazem se comportarem assim, afinal como um apostata pode amar isso é impossível.

A religião verdadeira que Tiago menciona em sua carta parece não mais existir a muito tempo, afinal no glamour gospel não tem espaço para os pobres porque isso não da ibope para as denominações e também da muito trabalho pra quem não quer sair do pedestal ególatra de seus púlpitos cheios do “EU” mais ausentes da glória de Deus.

Vivemos em um cristianismo que esta divorciado do amor Ágape, e que esta cada vez mais amante do amor pelo poder, pela vaidade de mandar e ser reconhecido, é a imagem de satanás sendo transmitida na igreja, uma verdadeira SATANAGEM.

Hoje infelizmente, não vemos o reino, o que vemos é o reino do Homem, por isso a tanta gente confusa e desanimada com o cristianismo, me lembro do Filósofo Nietzsche que no fundo no fundo tem suas razões em dizer que as pessoas não são tão crédulas o quanto demonstram ser.

Os modismos, as ondas de novidades no ceio da igreja passam, e simplesmente passam, seria nada mais do que um é-vento e não evento, mover histórico do Espírito.

Precisamos como igreja povo de Deus, rever alguns conceitos, abandonar tudo e fazer como Paulo somente desejar conhecer a Cristo, abandonar toda a ciência do mundo e principalmente a ciência da igreja que nos afasta do Centro que é o Senhor. Cristo é o filtro de tudo o que acontece, o que passar deste filtro é que foi aprovado por ele.

A Igreja é o corpo de Cristo, e para que ela faça parte é preciso que Cristo seja a cabeça, o que não vemos hoje. O que vemos é um corpo sem cabeça, morto em suas próprias convicções e doutrinas humanas heréticas que são interpretadas segundo as necessidades manipuladoras de cada um.

Um conselho para todos os filhos de Deus, para quem ama ao Senhor de verdade, este será preservado, porque Deus não é de confusão e se você esta vivendo em um lugar de confusão ele ti coloca no verdadeiro lugar para promover em sua vida o derramar de sua presença.

Desanimo é pra quem esta fora do eixo, desanimo é pra quem não esta na igreja, porque no corpo ele ordena vida e benção para sempre.

Reveja seus conceitos e caminhos, seja critico consigo mesmo e fique pronto pra mudanças radicais em sua vida.

O Senhor ti abençoe e ti de a luz

Viva em Plenitude

Pastor/Filósofo William Daniel

16/12/2010

Ética – sentido bíblico

1. O que é ética? – Ciência da conduta moral, julgamento de valores que se distinguem entre o bem e o mal. – Ética significa modo de ser, caráter.

1.2 Não é o caráter que leva o homem a Deus, mas a graça

Efésios 2:8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; • A pessoa mundana como o crente pode possuir caráter como também não.

1.3 Caráter é uma evidencia de salvação na vida do cristão

Tiago 1:21 Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma.

1.4 Exemplo de mudança de Caráter 1- Zaqueu era desonesto

Lucas 19:8 E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.

Exemplo de pessoa ética, mas sem Deus Jovem rico

Mateus 19: 20-21 Replicou-lhe o jovem: Tudo isso tenho observado; que me falta ainda? 21 Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me.

2 A ética é algo habitual Φ A ética é um conhecimento comportamental que se aprende não por instinto ninguém nasce ético, mas é através da educação, e construída historicamente e pela igreja.

2.1 O homem é um ser social O Filósofo inglês Thomas Morus disse: “Nenhum homem é uma ilha”. • O homem é um ser social • Deus criou o homem para viver em sociedade.

Gênesis 2:18 Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.

2.2 Os Filósofos gregos foram os que sistematizaram o conceito de ética • Sistematizar significa conjugar, reunir num corpo doutrinário • Sócrates foi o pai da ciência moral

2.3 Ética. Busca da felicidade terrena • O inicio e o fim da vida humana é a busca da FELICIDADE (bem estar), Conceito de Aristóteles.

3. Deus é o criador da Ética O Livre arbítrio humano significa: Livre escolha, livre decisão, opinião livre de escolher, seja ela boa o má Livre Arbítrio – Uma evidencia da ética divina para com o Homem. Genesis 2:16-17 E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

Deuteronômio 11:26-28 Eis que, hoje, eu ponho diante de vós a bênção e a maldição: 27 a bênção, quando cumprirdes os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que hoje vos ordeno; 28 a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, mas vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes.

4. Jesus Cristo foi ético Respeitou a lei Mateus 5:17 Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. –

Jesus valorizou a lei Ф A ética cristã são as buscas de valores divinos, com o intuito de agradar a Deus e viver em uma vida de equilíbrio (Justiça).

4.1 Ser ético é ser equilibrado Mateus 6:33 Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.

4.2 A lei de Deus é um mandamento ético que nos torna sábios Deuteronômio 4:5-6 Eis que vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o SENHOR, meu Deus, para que assim façais no meio da terra que passais a possuir. Guardai-os, pois, e cumpri-os, porque isto será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos que, ouvindo todos estes estatutos, dirão: Certamente, este grande povo é gente sábia e inteligente.

Guardar os estatutos éticos de Deus é torna-se inteligente Provérbios 1:7 O temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino.

5. Ser ético para com a nossa missão Mateus 5:14-16 Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; 15 nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. 16 Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus. • A luz é para brilhar nas trevas • A luz é para brilhar no mundo

DEVEMOS VIVER PELO REINO, PORQUE QUEM DEVERIA MORRER POR ELE JÁ MORREU NÃO É A NOSSA MORTE, MAS É A NOSSA VIDA PELA IGREJA!

5.1 Fruto do Espírito é a evidencia física da ética divina Gálatas 5:22-23 Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, 23 mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. 5.2 Ter ética consigo mesmo Provérbios 11:17 O homem benigno faz bem à sua própria alma, mas o cruel perturba a sua própria carne.

Pastor/Filósofo  William Daniel

Viva 31 de Outubro

Pare e pense…

Em alguns lugares do mundo comemora-se o Helloween, dia das bruxas, mas todo o cristão deve saber por obrigação a importância do dia 31 de Outubro. Nós devemos saber e louvar a Deus pela nossa história, somos protestantes de alma, e não podemos aceitar o cristianismo industrializado e papal também nos dias de hoje.

Pai da Igreja, Lutero, foi aquele que começou a abrir os nossos olhos, ele lutou por uma Igreja onde Cristo voltasse a ser Senhor novamente, e por isso louvamos a Deus pela Reforma Protestante que não acabou ainda estamos no processo de denunciar os abusos e violações espirituais e morais que são feitas em nome de Deus por manipuladores da massa.

Aqueles que são chamados por Deus devem por obrigação continuar a fazer o ministério de Cristo aqui e também edificar uma igreja totalmente bíblica que exalta de verdade o reino de Deus. Não vamos parar vamos continuar  essa é a nossa ideologia saber que podemos com sinceridade dar o nosso melhor ao Senhor e voltar ao principio que o nosso pai Lutero nos ensinou o “evangelho da graça”, uma igreja que prega salvação.

Faço deste pequeno espaço minha homenagem a todos que servem a Deus com pureza e sinceridade e também a todos que são filhos da reforma protestante, Viva 31 de Outubro.

Pastor William Daniel

VIVA 31 DE OUTUBRO

31 de Outubro de 1517, Alemanha, ocorre aquele que seria um dos grandes marcos da história da humanidade, a reforma protestante, que foi sem sombra de dúvidas a primeira revolução do mundo social moderno.

Seu personagem principal, seu idealizador, Martinho Lutero, o monge Católico adepto convicto da Filosofia de Santo Agostinho, foi o homem que buscou a verdade incondicionalmente para a sua vida pessoal, as suas intensas crises existências o levaram um dia a ter uma resposta quando meditava nos escritos do Apostolo São Paulo em Romanos 1:17 “O justo vivera por fé”.

 Uma luz brilhou em seu Espírito, daí, ele pode experimentar o alívio em sua consciência, ou seja, a sua experiência de salvação, e viu que, o que lhe daria paz interior e gozo em sua alma não eram os ritos, os sacrifícios que costumava a fazer seus autos flagelos, mas somente uma entrega de coração ao seu Criador como as escrituras sagradas relatam: Salmos 51:17 “Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus”.

Karl Marx em suas palavras descreve a importância de Martinho Lutero no contexto histórico da época quando diz; “Lutero venceu a servidão pela devoção, porque substituiu esta ultima pela convicção. Ele quebrou a fé na autoridade, porque restaurou a autoridade da fé. Ele transformou os clérigos em leigos, porque transmudou os leigos em clérigos. Ele libertou os homens da religiosidade externa, porque interiorizou a religiosidade nos homens”.

Martinho Lutero fez com que os cristãos voltassem à simplicidade do evangelho, incentiva o abandono de uma religiosidade sem espiritualidade, ele centraliza Cristo na Igreja e cabeça deste corpo, levando a Igreja a sua natureza inicial como nos dias apostólicos que é um organismo vivo,auto-suficiente, que como conseqüência disso, direta ou indiretamente influencia o meio a qual esta inserida, ele faz com que o povo tenha acesso às escrituras, tendo assim, contato com o Deus que fala a língua do homem, um Deus mais humano e menos místico e utópico, tudo isso elevou a auto estima daquele povo, Salmos 33:12 “Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, e o povo que ele escolheu para sua herança”.

Não a como negar que Martinho Lutero foi um grande instrumento de Deus, ele tirou a Igreja do seu período de trevas de centenas de anos, ele representa o pensamento filosófico do cristianismo segundo Leonardo Boff, cristianismo esse, que deve ter Cristo como centro, e as escrituras como fundamento vivo da igreja, caso contrario, se não for assim não é cristianismo e sim uma vã filosofia, conhecimento inútil sobre Deus, algo sem essência.

Dia 31 de Outubro é um dia muito especial para todos os Luteranos de coração, afinal fomos libertados de nossas prisões religiosas e estamos voltando ao nosso estado original, ao cristianismo primitivo destituído de formalidades e regras, mas com muita vida, cheio de comunhão e de uma igreja que não oferece dogmas, as leis que matam o povo, mas sim o próprio Cristo em nós e por meio de nos, Gálatas 5:1 “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão”.

Somos livres e é isso que nos motiva a viver isso que nos importa e nos fazem felizes para sempre.

Pastor William Daniel

Movido pela consciência

                                          O Apóstolo São Paulo, embaixador de Cristo e organizador do cristianismo, deixou um rico princípio em sua carta à igreja de Deus na Galácia, na qual todo cristão deve atentar, o que é de ser movido pela consciência. Mover-se pela consciência é uma virtude que todo cristão deve ter como regra de vida, sua motivação em relação à consciência deve ser firme e constante até o fim, afinal essa é uma prática do bem; agir pela consciência.

       Ao lermos a carta do Apóstolo São Paulo, entende-se com clareza sua preocupação com os cristãos que ainda viviam presos nos atos sacrificais e ritualísticos da antiga religião judaica. Aqueles que se converteram ao cristianismo estavam envolvidos na atmosfera de cegueira religiosa judaica, que tinha por característica principal o seu lado simbólico e ritualístico de ser; não diferente dos dias de hoje em que, na sua maioria, os cristãos vivem sob influência de leis e não são movidos pela sua consciência.

       O Apóstolo São Paulo vendo isso escreveu o seguinte pensamento em Gálatas 5:25 “Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito”. Nesta situação vemos a questão inteligível do Espírito, ele está intimamente relacionado com o movimento viver e andar no Espírito, segundo o texto do Apóstolo São Paulo relaciona -se com o mover da razão em si mesma. O Espírito em sua essência é livre, e a razão uma vez regenerada não pode se prender as paixões dogmatizadas das formas religiosas.
       Fomos libertos, e uma vez livres jamais podemos nos tornar escravos novamente. Essa idéia de liberdade, o Apóstolo São Paulo, expressa muito bem e com clareza em Gálatas 5:1 quando diz: “Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo de escravidão”, ou seja, não tem mais necessidade, não tem mais utilidade viver segundo o domínio das paixões religiosas que são consideras por ele como uma forma carnal de viver. Inteligência e total liberdade são características do Espírito em nosso Espírito, e através da razão temos consciência de nossa limitação e partimos para a consciência do ilimitado pela própria razão.

       Liberdade é a essência do Espírito, é a sua forma, e o Apóstolo São Paulo em sua sabedoria diz que a liberdade é um chamamento. O texto de Gálatas 5:13 nos mostra isso, “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade”. Há um duplo conceito do Espírito que é o acolhimento, e o dom do Espírito; O acolhimento é a essência do ser em nosso ser como o Apóstolo São Paulo diz viver no Espírito, e o dom do Espírito como parte pneumática (movimento) da questão, o movimento do Espírito em nosso Espírito que faz de nossa razão, uma razão que era limitada em suas paixões, a se tornar ilimitada pelo mover iluminador do Espírito de Deus.

       Não devemos esquecer que a vida no Espírito, na questão intelectiva, tem por função uma forma contemplativa de se expressar, ela busca em sua raiz, que é Deus, a fonte para alimentar sua liberdade, já que o Espírito é livre em si, e quando Ele permanece preso, é sinal que não está naquele presente momento alimentando-se de sua própria origem, tornando assim, o homem um ser cego, encarcerado pelas suas paixões e dominado pela irracionalidade de seus atos. O cristão não deve se prender às praticas religiosas simbólicas e ritualísticas, mas sim, ao Espírito da lei que está na consciência. Essa é a essência do cristianismo, que o homem uma vez alcançado pelo evangelho, às boas novas, não seja mais preso em leis humanas, mas sim, pela lei espiritual; a lei do Espírito que está em sua própria consciência. Isso é viver e andar no Espírito; é ter uma vida iluminada pela Escritura Sagrada e deixar com que ela o conduza por toda a vida. Em Gálatas 3:24 o Apóstolo São Paulo diz: De maneira que a lei nos serviu de aio (guia), para nos conduzir a Cristo, para que, pela fé, fôssemos justificados.

       As pessoas caem em um erro muito grande ao dizerem que a fé não é algo racional, e sim, manifestação emotiva; ao observar a racionalidade da fé na carta aos Hebreus 11:1 que diz: “Ora a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem”. O texto mostra a pura racionalidade da fé bíblica que não é apoiada em objetos para que exista, mas é totalmente racional e metafísica em sua manifestação. Um exemplo de contato com a fé racional bíblica foi Martinho Lutero, o monge Católico Agostiniano, que cansado de viver de forma metódica e religiosa à vida cristã, antes de questionar a Igreja, questionou a si mesmo. A história nos conta que ele era um homem cheio de conflitos interiores, um religioso que vivia sobre regras, porém, sua consciência o acusava dia e noite até o momento em que ele descobriu que o cristianismo não era uma religião de regras e sim, um estilo de vida pela qual só teria êxito se fosse praticado por meio da fé; daí então o jovem monge libertou-se de toda forma legalista de viver quando teve contato com o texto de Romanos 1:17 que o Apóstolo São Paulo diz: Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. Martinho Lutero saiu da escravidão da lei e experimentou o Espírito da lei que é algo totalmente distinto em sua natureza.
           A lei humana leva o homem a ser condenado, e o seu salário é a morte em todos os sentidos: físico, psíquico e espiritual. Por outro lado, a lei do Espírito salva o homem da morte e o leva a liberdade e plena paz consigo mesmo e com o seu Criador. O propósito da lei é condenar o homem e não absolvê-lo, porque se existe lei é sinal que existem pessoas que as transgridem com seus atos. Somos transgressores por natureza. O pecado é mais do que um ato em si, ele é uma forma de vida que é totalmente reprovada pelo Criador. Andar em Espírito é viver pela consciência, é uma espécie de lei interiorizada em nós que estão gravadas nas tábuas de nossas almas que um dia foram regeneradas e salvas pela palavra escrita chamada Cristo Jesus nosso Senhor.

       A consciência é o órgão pela qual o homem tem contato com o mundo exterior, com o mundo interior e principalmente tem consciência de si mesmo com ser humano capaz de decidir, por si, seus atos. A consciência é o órgão pela qual a ética cristã é estabelecida, local que estruturamos todos os conceitos. Jesus Cristo colocou em nossa mente através de suas palavras a lei divina, ela nos guia, nos dá vida, e nos faz possuidores de um comportamento ético ideal. Viver pela consciência é não precisar que as pessoas nos digam o que devemos fazer, porque já estamos fazendo, é ser guiado pelo Espírito em todos os sentidos como o Apóstolo São Paulo nos mostra em sua carta aos Gálatas. Se fugirmos deste princípio natural de viver, seremos anormais em nossa forma de agir, seremos contrários à nossa natureza regenerada, ou seja, o novo homem que habita em nós se move através de uma consciência livre de regras, dogmas e leis humanas que só servem para gerar morte. Se quisermos viver, devemos fazer de nossa consciência o órgão único pela qual a nossa vida cristã comportamental deve se mover. Ser livre é estar preso em uma consciência cheia da palavra de Deus, cheia da palavra escrita que é o próprio Cristo em nós. Ser movido pela consciência é um ato processual contínuo que ocorre durante toda a nossa vida cristã. É importante salientar que se mover pela consciência é uma decisão pessoal, um caminho estreito que poucos andam porque implica em renúncia da própria vontade, abrir mão de nossos desejos e lutar contra o nosso homem interior.

       O texto sagrado diz assim em Mateus 16:24: “Então, disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-me”.Tudo é questão de inclinação e nossa vontade deve ser inclinada às coisas divinas, pois a consciência é algo divino, celeste, não pertencente a este mundo. Quem pode falar com maior propriedade também do assunto é outro grande Apóstolo de Cristo, São Pedro, que nos dá um conselho em uma de suas cartas em 2 Pedro 1:4 que diz: “Pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo”. São Pedro nos dá a idéia de que devemos nos tornar co-participantes da natureza divina, ou seja, para experimentarmos essa realidade é necessário que a nossa consciência seja regenerada, e uma vez regenerada ela deve ser inclinada a Deus, e em conseqüência disso, o Divino vai influenciando o nosso ser, a ponto de nosso caminhar tornar-se plenamente conduzido pela natureza Divina.

       Voltando no pensamento Paulino em Gálatas 5:25 “Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito”. Entrando na visão Aristotélica de Deus que é o motor imóvel que move todas as coisas podemos comparar esse grande motor a, não somente Deus em si, mas o movimentar de Deus em si mesmo, sendo assim, entendemos que Deus é um ser que além de mover todas as coisas, a sua essência em si é movimentar em si mesmo, Deus é um ser dinâmico que se movimenta em si, e em todo homem que experimentou uma regeneração em sua consciência.

       À evidência do movimentar de Deus no homem dá-se o nome de unção, que nada mais é que o movimento do Espírito no interior do homem regenerado pelo Espírito; sua consciência se move dinamicamente fazendo com que essa pessoa experimente o movimento da consciência em sua vida; o que chamamos de unção, ou seja, o cristão possui o movimento do motor imóvel em seu interior e quanto mais ele der liberdade para isso através da sua vida de separação, e também da negação de sua vontade, mais ele vai experimentar uma vida livre e cheia de paz interior. O Apóstolo São João relata de forma bem pura essa questão da característica da unção, e podemos observar seu pensamento na sua Epístola 1 João 2:27 que diz: “Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as cousas, e é verdadeira e não falsa, permanecei nele, como também ela vos ensinou”.

       Podemos confirmar a idéia de ensinamento em que a consciência se propôs a realizar na vida do cristão, a consciência é a voz interior do altíssimo em nossas vidas. Ele, segundo o texto, nos ensina todas as coisas, devemos ser guiados por ela, andar segundo a sua orientação para que a nossa vida seja uma vida de plena paz e sucesso material em todos os sentidos possíveis. A unção que entendemos, que é o movimento do Espírito, tem por função levar o homem a ter mais comunhão com Deus e ter uma vida segundo o próprio Espírito, como nossa professora ela nos orienta no caminho que devemos andar, caminhos esses que aos olhos nus não vemos de imediato, mas como ela não está presente ao tempo, mas sim além do tempo, ela entra em nosso tempo e mostra os possíveis caminhos de vitória que podemos andar através de sua presciência, uma forte característica da unção é que ela é verdadeira, isenta de erros, e idéias falsas, e neste sentido podemos dizer que ela é uma realidade desde que, como já dissemos antes, demos a ela condições e liberdade para mover-se em nossas vidas.

       Conhecer a Deus é uma ciência uma busca Metafísica, viver no Espírito é fazer algo conhecido pelo nosso intelecto regenerado algo praticável todos os dias, resumindo; é unir a prática com a teoria, tendo-as não como objetos separados, entretanto, como uma única coisa que possui em si qualidades diferentes, mas que a sós não conseguem agir, pois uma depende da outra.

William Daniel
Pastor e Filósofo

Educar o Espírito para vida social

Educar o Espírito para vida social

A fase mais importante da vida de um ser humano é a juventude. Nela decidimos questões importantes como: que profissão vamos optar, qual curso superior iremos fazer e com quem decidiremos viver e constituir família.

A juventude é o nosso vale de decisões é nesse período que fazemos as nossas escolhas e ao mesmo tempo elas que nos fazem.

Estamos matriculados em duas escolas, a da vida, e o local onde estudamos, que nos molda também para vida, esses dois órgãos são importantes porque um educa o espírito (o ser interior) e o outro a psique (nosso eu para o eu coletivo que se chama sociedade).

Esses são caminhos desafiantes que o jovem tem que enfrentar, afinal, a juventude é o alicerce para toda vida.

O personagem bíblico João nos da uma visão ampla sobre o que é juventude quando escreve em 1 João 2:14 diz: “Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes”. Juventude é a época de fortaleza, de vigor físico, emocional e cultivo espiritual.

O jovem deve permitir ser educado aproveitando as oportunidades e construindo um edifício de sucesso bem alicerçado em seus valores recebidos pelos seus educadores.
Salomão, mais sábio segundo as escrituras sagradas, deixou um grande conselho em Eclesiastes 12:1; “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer;”.
Trazendo as verdades do pensamento de Salomão para a nossa realidade, a juventude resume-se no período em que plantamos as sementes das nossas opções, as mínimas coisas que se transformaram em grandes coisas no futuro, é na juventude que fundamentamos o nosso amanhã e a escola é o caminho que nos molda para isso, para o viver coletivo.

A maior dificuldade que um jovem enfrenta hoje é exatamente na hora de fazer suas escolhas, a falta de opinião, coração indeciso, e conflitos mentais que os afligem, tudo isso em decorrência da falta de prática dos valores espirituais e éticos que a escola como mãe e discipuladora para vida dever formar.

Lembre-se jovem amigo, devemos buscar a felicidade, a procura pelos valores que não são vinculados aos modismos temporários, porque eles não podem nos oferecer nada. Buscar os valores que é o principio único da felicidade, conhecer a verdade na mocidade, ou seja, aproveitar seus momentos de escola como aprendizado eterno.
Plante os ensinamentos que a vida e a escola tem comunicado a você e seja bem-aventurado, guarde o seu pensamento positivo e fé em Deus no teu coração, e ele o recompensará. Mantenha sua integridade com muita garra, ser bom aluno da vida e na escola é estar sempre em evidência.

Tudo isso será saudável para sua alma, seja excelente para o bem e ignore o mal, ame o próximo, priorize fidelidade, ame a vida aproveitando o hoje.

Forte abraço, jovem…

William Daniel

Pastor e Filósofo
http://twitter.com/prwilliamdaniel

Pular para a barra de ferramentas